Poeta invisível

Poeta invisível.jpg

"Não viu a poeta em mim"

Mas começa a descobrir

Apenas e porque sim

Pois não há como encobrir

 

Não vale fazer chinfrim

De nada poderá servir

Mas é salutar o frenesim

Que em muitos faz sentir

 

E agora vê-se a luz

Entre sorrisos de luar

Salpicados de emoção

 

O poema em nada reduz

Tudo o que possa alcançar

Ou guarde no coração.

publicado por poetazarolho às 00:04 | link do post | comentar