País bento

 

A culpa morre solteira

Ainda qu'exista culpado

Esta é uma lei certeira

No futebol e no estado

 

Mas vai-se difarçando

Verdadeiro estado da nau

O barro à parede atirando

Isto afinal não está mau

 

E enquanto navegar

Tempestade é disfarçada

E a peneira tapa o sol

 

Se o destino é naufragar

Mesmo sem culpa de nada

Algum bento vai no rol.

publicado por poetazarolho às 19:11 | link do post | comentar