Lapsos de realidade

Lapsos de realidade.jpg

Constroi-se a felicidade

Nesse mundo imprevisto

Supõe-se haver liberdade

Onde eu ainda subsisto

 

São laivos da realidade

Fora de qualquer registo

Acabando na verdade

Onde por fim não existo

 

Permanence a sensação

Do dever nunca cumprido

E de dúvida existencial

 

Assim se esgota a razão

Por termos enfim perdido

Contacto com o essencial.

publicado por poetazarolho às 06:59 | link do post | comentar