Dívida tragédia

 

Acima das possibilidades

Já não se consegue viver

São precisas habilidades

Pr’ó empobrecimento suster

 

Como manda a economia

Vive-se agora em Portugal

Há muito que não se via

Tanta gente a viver mal

 

Entre partir ou ficar

Entre viver ou morrer

Não há muito qu’escolher

 

Ou então escolhe lutar

Contra a dívida a crescer

Nunca poderemos vencer.

publicado por poetazarolho às 22:21 | link do post | comentar