Degrau a degrau

Degrau a degrau.jpg

Tudo um dia se esvai

Mas tudo se pode criar

E o ego para onda vai

Se não se pode matar

 

Será para o Monte Sinai

Onde é árduo o caminhar

Mas por isso caminhai

Prá montanha encontrar

 

Da cegueira à indiferença

Tod’os degraus são em vão

Só o degrau da verdade

 

Se eleva além da diferença

Faz sobressaiar a união

Em prol da multiplicidade.

publicado por poetazarolho às 05:56 | link do post | comentar