Colossal

 

Terá sido a ganância

Que afundou Portugal

A festa da alternância

Desaguou num lamaçal

 

Continuaremos a dança

Como esta não há igual

Até qu’assinem a livrança

Para o afundanço total

 

Sairemos sem cautelar

E plenos de esperança

Num amanhã colossal

 

Com a dívid’aumentar

Será total a confiança

Neste colosso nacional.

publicado por poetazarolho às 18:12 | link do post | comentar