Tiro de partida

 

Militares saíram à rua

Mas não p’ra guerrear

Ideal não se prostitua

Que só vieram protestar

 

Mas estava prostituído

Esse ideal da revolução

Que Abril foi possuído

Por políticos de tostão

 

E este país destruído

À beira da escravidão

Viu a tropa na avenida

 

Um desfile sem sentido

É mais um na multidão

Sem o tiro de partida.

publicado por poetazarolho às 20:40 | link do post | comentar