Reafundar

 

Refundação terminada

Venha já o orçamento

Ou então não sobra nada

P’ra dar ao salazarento

 

O povo aguenta mais

Já apregoa o banqueiro

E eu vejo disso sinais

Os que faz o timoneiro

 

Duma nau já sem rumo

Ao sabor desta tormenta

Remem todos com vontade

 

É dado certo, não presumo

Este é um povo que aguenta

Com todo a austeridade.

publicado por poetazarolho às 21:32 | link do post | comentar