D. Gaspar

 

Afinal era Gaspar

E não D. Sebastião

Andou anos a estudar

Para salvar a nação

 

Voltou pr’a aplicar

Com grande convicção

Uma receita de pasmar

A toda a população

 

Que andou a esbanjar

Sem poupar um tostão

Nem o futuro acautelar

 

Casa, carro e televisão

Vão ter que entregar

Ou males maiores virão.

publicado por poetazarolho às 21:30 | link do post | comentar