Orçamento p’ra tosse

 

Pago tudo o que devo

Com o sangue do povo

Isso porque não m’atrevo

A defendê-lo de novo

 

Fui eleito p’ra pagar

E acalmar os credores

Para isso há que sangrar

Este povo de devedores

 

Vive acima da sua posse

Mas vai ter que vergar

Não há outra solução

 

É um orçamento p’ra tosse

Vai ter que se habituar

A mais esta constipação.

publicado por poetazarolho às 20:40 | link do post | comentar