Bloqueio

 

Não está na violência

Uma qualquer solução

Eu falo com a anuência

Do meu destino na mão

 

Basta gerar o bloqueio

Na rua com um milhão

E donde a medida veio

Logo mais duas virão

 

Para tapar o devaneio

Da já longa governação

Que este buraco cavou

 

Desta gente estou cheio

Quarent’anos já lá vão

E nada de bom resultou.

publicado por poetazarolho às 20:27 | link do post | comentar