Conselho faraónico

 

A TSU parece não vem

Virá corte equivalente

Decidiram em Belém

Povo quer-se dormente

 

Pobreza é o seu limiar

Acima só os iluminados

Nascidos p’ra governar

Este bando de azarados

 

Mas um azar não vem só

Então o conselho d’estado

Reunido com tod’o preceito

 

Sob a égide dum faraó

Declarou tudo reconciliado

O povo pobre mas satisfeito.

publicado por poetazarolho às 23:12 | link do post | comentar