Gerações e desilusões

 

P’ró que lhes havia de dar

Quererem-nos pobrezinhos

Depois do imenso penar

Dos nossos avós e paizinhos

 

Pobre país sem produtividade

Onde entraram aos milhões

Para promover a equidade

Mas só comprámos desilusões

 

Os milhões foram encaixados

Onde muito bem sabemos

Mas não há provas de nada

 

Pobre país de desgraçados

Três gerações e sofremos

E a próxima está destroçada.

publicado por poetazarolho às 21:48 | link do post | comentar