Complemento da austeridade

 

Arroto a austeridade

Porque estou satisfeito

Venha agora a liberdade

Senão acabo desfeito

 

A ditadura do imposto

Para uns é fenomenal

A mim põe-me indisposto

Das tripas já passo mal

 

O medicamento ia comprar

Mas perdi o rendimento

Por causa dessa desdita

 

Não mais parei de obrar

Tornou-se num complemento

A minha tripa anda aflita.

publicado por poetazarolho às 13:06 | link do post | comentar