Encher a pança

 

Se os poderosos são lesados

Aparecem logo os milhões

Pr’acalmar os mercados

Entre outras decisões

 

Os mandantes da Europa

Metem o rabo entre pernas

Que o G20 é outra tropa

Obedeces ou não governas

 

Mas o que ninguém desconfia

É que o governo é da finança

E ao recomendar esta terapia

 

Vai encher de novo a pança

Enquanto escuta na telefonia

Para o povo não há esperança.

publicado por poetazarolho às 00:35 | link do post | comentar