Anda comigo ver os espiões

 

Anda comigo ver os espiões

Da nação, são a sua secreta

E tratam das preocupações

De forma enérgica mas discreta

 

Relatórios com informações

Nunca existiram, são uma treta

Fazem parte das encenações

E esqueces que estás sem cheta

 

Anda comigo ouvir as audições

No parlamento, ditas por poeta

Ficas com diferentes sensações

 

E de entulho a cabeça repleta

Levas a mão bolso, contas os tostões

Vais a pé, já não abasteces a lambreta.

publicado por poetazarolho às 21:52 | link do post | comentar