Convicções sem rosto

 

Não queira que o poeta

Escreva só do interior

Pode uma ideia abstracta

Procurar algo maior

 

Um poeta pode superar

Tudo aquilo que conhece

Pode mesmo intentar

Contra a vida me parece

 

Mesmo sem poeta ser

Mas dono de imaginação

Pensar já sem escrever

 

Escrever já sem sentir

Alguém roubar sua mão

E usá-lo para se exprimir.

publicado por poetazarolho às 17:37 | link do post