Mamocas

 

Das mamas à governação

Vai um lapso momentâneo

Que o diga Bernardo Bairrão

Teve um lapso consentâneo

 

No governo quase a entrar

Olhando pr’as mamas da Rita

Com vontade de as apalpar

Só o músculo se lhe arrebita

 

Mas sem mamas e sem tacho

Com o olhar se contentou

Sabem o que é que eu acho

 

Que as mamas não apalpou

Ficou com outro mamarracho

Mas do tacho algo sobrou.

publicado por poetazarolho às 22:51 | link do post | comentar