Serenidade

 

Este povo é sereno

No eterno carnaval

País é bem pequeno

Ninguém leva a mal

 

Há cocktails pelo ar

São os de mau cheiro

Não são de rebentar

Só assobiar o primeiro

 

Ministro de coragem

Enfrentou a criadagem

Deu seu peito às balas

 

Subiu logo na sondagem

Assim não fará as malas

Presidente não te ralas?

publicado por poetazarolho às 12:00 | link do post