Era do bom senso


Esta é era do pessimismo
Pois já ninguém acredita
Nesta malta com cinismo
Nem naquilo que debita

Invente-se uma nova era
Que nos traga algo de novo
Onde o cinismo não impera
Mas o bom senso do povo

Com bom senso é possível
Fazer bem melhor que isto
Alguém disse e não arrasa

Para obter mais que sofrível
Não é preciso um ministro
Basta mediana dona de casa.
publicado por poetazarolho às 03:58 | link do post