Na banheira


Os milionários querem pagar
Pois sejam meus convidados
Podem começar já pelo jantar
Não quero vê-los contrariados

Hor d’ouevre ostras au caviar
Para emborcar cahteau lafite
Degustar um confit de canard
Arrotar, ó condessa não me fite

Já estou com uma monumental
Leve-me no Cadillac, condessa
Ao Hilton Palace da Margueira

Ficamos na suite presidencial
Instale-se na cama e adormeça
Que eu durmo ali na banheira.
publicado por poetazarolho às 12:06 | link do post