Domingo, 30.10.16

Deuses da política

Deuses da política.jpg

São os dias da loucura

São o nosso carnaval

E este carnaval dura

Aqui no nosso Portugal

 

Mentira é omnipresente

Tão habituados qu’estamos

Parece andarmos p’rá frente

Mas p’ra trás é que andamos

 

E a classe dominante

Foi tornada omnisciente

E assim de ora avante

 

Ocupou o subconsciente

Deste povo não pensante

Que a tornou omnipresente.

publicado por poetazarolho às 07:50 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 18.10.16

Pariu-se a confusão

Pariu-se a confusão.jpg

Grande era o firmamento

Enorme era o universo

Gigante era o pensamento

Mas depois pariu um verso

 

P’ra que pudesse ser lido

E não fosse enfraquecendo

O verso assim parido

Lá se foi engrandecendo

 

Tornou-se depois poesia

Mais tarde virou canção

Chegando a ser literatura

 

Mas lá para o fim do dia

Instalou-se a confusão

Que ainda hoje perdura.

publicado por poetazarolho às 23:53 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Domingo, 16.10.16

Dylan o que dylan

Dylan o que dylan.jpg

Não por ser americano

Mas por ser universal

Acho é que no melhor pano

Cai a nódoa e fica mal

 

Esse júri foi ao engano

Podia bem ser de Portugal

Mas se o erro é humano

Não o considero fatal

 

Existem sempre razões

Que a razão desconhecerá

Ou que não quer conhecer

 

Mas o mérito das canções

É que as razões invocará

Até a quem as não quer ler.

publicado por poetazarolho às 13:39 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 14.10.16

Dylan or not dylan

Dylan or not dylan.jpg

Literatura está em choque

Com o Nobel atribuído

A canção foi a reboque

Do verso mais distinguido

 

O autor pois mais que toque

Não será bem compreendido

Pelo grupo que invoque

Este mundo está perdido

 

Mas este mundo evolui

Sopram ventos de mudança

Que não sabemos explicar

 

Só um prémio assim contribui

P’ra que fique na lembrança

Os tempos estão a mudar.

publicado por poetazarolho às 23:54 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 12.10.16

Inversão do abismo

Inversão do abismo.jpg

Loucura no topo do mundo

Em termos de surrealismo

Tão real quanto profundo

Nesta inversão do abismo

 

Cais a pique no imundo

Utilizas o teu vedetismo

Cavas o sucesso a fundo

Fazes uso do secretismo

 

E tudo assim transparente

Num vai vem mudo e calado

Torna a loucura fundamental

 

O abismo assim diferente

Faz-se topo aprofundado

Deste mundo que é surreal.

publicado por poetazarolho às 01:15 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Outubro 2016

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

subscrever feeds

blogs SAPO