País zero

 

Não tem bem em seu nome

Mas já lhe sobeja o mal

DDT é seu cognome

O dono de Portugal

 

Em vergonha tansformado

Poderoso é certamente

Faz parte do nosso fado

Esta malta que nos mente

 

Portugal não é país

Nem sequer é principado

Está mais perto de ser nada

 

Ou se corta pela raíz

Ou o destino gizado

É uma pátria arruinada.

publicado por poetazarolho às 00:37 | link do post | comentar | ver comentários (2)