Onde andais...

 

Portugueses onde andais

Nessas redes aglutinados

Irreconhecíveis vos curvais

Perante poderes infundados

 

Poderes sem consistência

Esses poderes comandados

Há que oferecer resistência

P’la dignidade dos soldados

 

P’la dignidade deste povo

Que não fez por merecer

Tanta e tão cruel maldade

 

Há que conquistar algo novo

Nem que seja de novo morrer

P’ra ver nascer a liberdade.

publicado por poetazarolho às 22:24 | link do post | comentar | ver comentários (1)