Palhaços

 

O contribuinte palhaço

Gera rios de dinheiro

Pr’a político é melaço

Com que unta o vespeiro

 

Abelha mestra dirige

Legião de seguidores

Todos são mestres prestige

Com canudo de doutores

 

No exterior desta colmeia

Existe um amargo de boca

Tudo um pouco escasseia

 

A cobrança anda louca

O visado nem esperneia

Já que a comida é pouca.

publicado por poetazarolho às 21:05 | link do post | comentar