Trabalho liberta

 

Tu que és força produz

Pago-te ao fim do mês

Já que o dinheiro seduz

Produz mil e dou-te dez

 

Não questiones o sistema

Qu’é do princípio das eras

Recebias em sal-gema

E eras atirado às feras

 

Foi grande a evolução

Dá largas à criatividade

Realiza-te pela profissão

 

Que o trabalho liberta

Liberta-te da necessidade

De teres uma mente aberta.

publicado por poetazarolho às 23:28 | link do post | comentar | ver comentários (1)