Lápides

 

O arco da governabilidade

Nunca devia ter governado

Por ser tanta a inabilidade

Temos um país afundado

 

Mas o povo na ingenuidade

Sempre neles tem votado

Continuará até à eternidade

Neste mesmo registo falhado

 

Todos os alibis lhes assistem

Encontram sempre o culpado

Pelo estado a que chegámos

 

Estes carrascos não desistem

De ver o seu povo lapidado

Às lápides nos entregámos.

publicado por poetazarolho às 23:20 | link do post | comentar | ver comentários (1)