Sessões contínuas

 

Holofotes da ribalta

São a grande tentação

Estão a ofuscar a malta

Que logo perde a noção

 

Por mais que se retrate

Sobre tudo vale opinar

No reino do disparate

Para a fama alcançar

 

E para à fama fazer juz

Sem dever à inteligência

Qualquer disparate produz

 

Uma onda de indignação

Sem qualquer consequência

E logo começa outra sessão.

publicado por poetazarolho às 21:11 | link do post | comentar | ver comentários (1)