Pensão e mansão

 

Criminosa uma pensão

Neste nosso Portugal

Se auferes um milhão

Um milhão passa mal

 

Mas a ti não importa

Esse milhão mal amado

Que a pobreza suporta

Se tu és privilegiado

 

À porta uma limusina

Dessa grande mansão

Com mordomo fardado

 

Na barraca pequenina

Mora um outro irmão

Por este país enganado.

publicado por poetazarolho às 21:54 | link do post | comentar | ver comentários (1)