Troika com carinho

 

Portugal assim entendeu

Não havia outro caminho

E portanto empobreceu

Disse a troika com carinho

 

Se algum dia enriqueceu

De uma ilusão não passou

Quem gasta o que não é seu

Fez a cama onde se deitou

 

Não foi falta de dinheiro

Que entrou aos milhões

E nada ficou como dantes

 

Perguntem aos governantes

E do templo os vendilhões

Que desses não me abeiro.

publicado por poetazarolho às 19:07 | link do post | comentar | ver comentários (1)