Quinta-feira, 30.08.12

País de equivalentes

 

 Tens filhos tens cadilhos

Isso era antes da troika

Agora só arranjas sarilhos

Se és pai na nação heróica

 

Orçamento vai determinar

Que te cortem a dedução

E por cada filho a estudar

Já escolheram a profissão

 

Poderá ser licenciado

Ou até tirar o mestrado

Se não fôr filho de doutor

 

Pode chegar a canalizador

Se não tiver jeito paciência

Pode pedir a equivalência.

publicado por poetazarolho às 21:38 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 26.08.12

Jangada de pedra

 

A Espanha resgatada

Pobres de los hermanos

Com a siesta renegada

Vão aumentar os enganos

 

A hacienda penhorada

Fará crescer os danos

A finança não vê nada

Lucros não são humanos

 

Crescem sem proteína

Nesta ibéria pré falida

Onde o homem não medra

 

Nem com muita cafeína

Ele tem esperança de vida

Nesta jangada de pedra.

publicado por poetazarolho às 15:56 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 24.08.12

Novos treinadores

 

O monstro volta a ganhar

No jogos dos matraquilhos

Desta vez contra o Gaspar

Do país dos maltrapilhos

 

E volta a troika pr’avisar

Nada de mais choradeiras

Os golos são pr’a marcar

Comprem novas chuteiras

 

E afinem a pontaria

Estamos cá para treinar

Mas não esta porcaria

 

Chicotada psicológica já

Ponham o treinador a andar

Que essa táctica já não dá.

publicado por poetazarolho às 19:38 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 21.08.12

Donos da república

 

Por dinheiro desvairado

Sem trazer nada de novo

Assim anda o nosso estado

Esquecendo este seu povo

 

Muito poucos vivem bem

À conta da despesa pública

Tratam os outros com desdém

São os donos da república

 

Com uma história infinita

De muito episódio atroz

Esta república madrasta

 

Onde a crise é congénita

E ninguém levanta a voz

Dizendo republicanos basta.

publicado por poetazarolho às 21:22 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 19.08.12

Adeus velha Europa

 

Desagregação anunciada

Que só por hipocrisia

Não foi já consumada

Vai acontecer nesse dia

 

Quando não houver nada

Que possa ser mais valia

Da agregação planeada

Onde este fim se inscrevia

 

Após a efémera duração

Europa eu de ti me despeço

Sempre alegre e a cantar

 

E após esta bela canção

Só mais uma coisa te peço

Leva o coelho e o gaspar.

publicado por poetazarolho às 22:59 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 17.08.12

Ímpetos

 

Foi o ímpeto reformista

Que impediu de reformar

Sem nunca perder de vista

Milenar arte de aldrabar

 

E nós assim aldrabados

Teremos que aguentar

Os impostos aumentados

Se o ímpeto não terminar

 

Os discursos produzidos

Não afastam a recessão

Que veio p’ra ficar afinal

 

Com os argumentos falidos

Não veremos a inversão

Que se prometeu no pontal.

publicado por poetazarolho às 19:23 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 15.08.12

Sonho de menino

 

O ministro desconhece

Documento desaparecido

Um ministro não esquece

Assim deverá ter sido

 

Foi ao fundo o documento

Tal e qual o submarino

Perdeu-se por um momento

Era um sonho de menino

 

Jogar à batalha naval

Com grandes embarcações

E poder de fogo real

 

Que nos custa uns milhões

Chefiou as negociações

P’ra orgulho do país natal.

publicado por poetazarolho às 22:09 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 14.08.12

Promessas mil

 

Não haverá mais regabofe

Na república das bananas

Não encaixa nesta estrofe

Nem nas ideias que emanas

 

Importante é não falhar

No controlo da despesa

Nem que tenham d’emigrar

E a malta fique toda tesa

 

Neste ano de transição

Qu’o seguinte já não será

De tamanha aflição

 

A esperança espreitará

Em vésperas de eleição

Promessas mil haverá.

publicado por poetazarolho às 22:45 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Segunda-feira, 13.08.12

Secreto de menos

 

Houve um encontro secreto

Por isso vem nos jornais

Foi tudo muito discreto

Mas devia ter sido mais

 

Entre portas e travessas

Agenda ficou conhecida

E até algumas peripécias

O local e a ementa servida

 

Mais secreto é impossível

Como aqui ficou provado

E assim se constrói o futuro

 

Duma nação imprevisível

Que chegará a algum lado

Mesmo que não tenha seguro.

publicado por poetazarolho às 20:55 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 12.08.12

Estupidez

 

Houve um primeiro passo

Que foi extinguir a cultura

Alguém disse, erro crasso

Assim a estupidez perdura

 

Viva a estupidez humana

Alguém disse ser infinita

Pois quem a arte profana

Julga a cultura maldita

 

Infinito o universo seria

Sobre isso não há certeza

Como já alguém dizia

 

Ficou apenas provado

Da estupidez a grandeza

Enquanto o resto é estudado.

publicado por poetazarolho às 00:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Agosto 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
16
18
20
22
23
25
27
28
29
31

subscrever feeds

blogs SAPO