O canudo

 

Eu pretendo ser doutor

Alguém arranje o canudo

Tenho equivalência maior

Fui rei momo no entrudo

 

Sou de rara inteligência

Não por que a quisesse ter

E da mais fina aparência

Só doutor poderia ser

 

Com uma rara capacidade

Posso ajudar este país

A transpôr a recessão

 

Ser doutor é necessidade

E não foi porque eu quis

Foi um apelo da nação.

publicado por poetazarolho às 19:50 | link do post | comentar | ver comentários (1)