Mestres da política

 

Portugal é cadáver morto

Disse-o com sua dicção

E pelo discurso absorto

Qual ministro da nação

 

Não atingiremos bom porto

Mas é brilhante a explicação

Porque é que deu p’ro torto

Apesar de ter dito que não

 

Não são mestres de cozinha

Mas são mestres da ilusão

Destes cozinhados sem sal

 

Vão tratando da vidinha

Não iludem, são desilusão

Cozinham apenas e mal.

publicado por poetazarolho às 23:01 | link do post | comentar | ver comentários (1)