A força da cenoura

 

Portugal não está a mais

É um exemplo a seguir

As reformas estruturais

Da agenda hão-de sair

 

Estão lá há trinta anos

Mas foram muito elogiadas

Por isso não haja enganos

Serão de vez implementadas

 

Força do elogio veio acordar

Uma adormecida vontade

Que tem sido quase nula

 

Por isso é lento o caminhar

Mas a cenoura na verdade

Dá alento a muita mula.

publicado por poetazarolho às 22:37 | link do post | comentar | ver comentários (1)