Terça-feira, 13.03.12

Canção do bandido

 

O programa já não vejo
Minha gata está deitada
Por isso o meu ensejo
De não pensar em mais nada

Desce sobre mim a noite
Assim de mente desocupada
Pode ser que não me afoite
Por ora em nova jogada

Ouço agora na Antena um
Uma voz doce e sincopada
Que de vez me adormece

É o que nos mantem em jejum
Feito ministro da carneirada
Quem o ouve nunca esquece.

publicado por poetazarolho às 21:48 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 12.03.12

Heróis do mar

 

Através do voto elege

O povo a representação

Em cada eleito emerge

O orgulho da nação

 

Que a todos representa

Com espírito de missão

E assim o povo aguenta

Sacrifícios sem imposição

 

Nosso eleito nosso orgulho

Tu és a nossa motivação

Nunca serás um estorvo

 

Nunca serás um engulho

P’ra sempre no coração

Deste agradecido povo.

 

http://www.youtube.com/watch?v=m9vt29LvGt8

publicado por poetazarolho às 20:30 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Domingo, 11.03.12

Impumidade

 

P’rá história da democracia

Aqui à beira mar plantados

Por certo escreverão um dia

Como fomos enganados

 

Milhões p´rá convergência

Os que nos foram roubados

Por mais pura negligência

Pelo convir dos iluminados

 

Seus interesses acautelaram

Aqui à beira mar plantados

Triste herança nos deixaram

 

Entre eles andam zangados

Mas a lei nunca aplicaram

Nunca haverá condenados.

publicado por poetazarolho às 18:37 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 09.03.12

Bebe aguardente

 

Sempre a olhar p’ra trás

Até mesmo o presidente

Eu beberia aguarrás

Se não tivesse aguardente

 

Nossas políticas são más

Serão os políticos gente?

Outros dias conhecerás

Quando saírem da frente

 

Obcecados p’lo poder

Movidos p’la alta intriga

Esquecem que existe povo

 

Já sabes que sais a perder

Não sei mais que o te diga

Bebe aguardente de novo.

publicado por poetazarolho às 19:11 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 08.03.12

Aos loucos

 

De médico temos um pouco

E de louco então nem se fala

De génio, só de génio louco

Não são todos? Quem se rala!

 

Consequência é bem visível

Uma sociedade em loucura

Doente, alienada e sofrível

Com pouco génio à mistura

 

Nem o génio da lamparina

Os três desejos nos concede

Pois entrou em greve de zelo

 

Temos que inverter esta sina

Sempre alcança quem pede

Aos loucos façamos um apelo.

publicado por poetazarolho às 21:33 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 07.03.12

Que futuro II

 

Para alterarmos o futuro

É preciso estar presente

Altera o passado e juro

Terás um futuro diferente

 

Se perpetuarmos os erros

Do passado a cada instante

Bem podes andar aos berros

Que o futuro será errante

 

Anda p’rá rua vem berrar

Mais nada poderás fazer

Sabes que humano é errar

 

E ao errar estás a aprender

O que se pode melhorar

No futuro que nos couber.

publicado por poetazarolho às 20:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Palma

 

Perda assim não sei

Só me posso calar

Por dentro chorarei

Podendo até sangrar

 

Sangue saído da alma

Rasga a carne ao passar

Deposito esta palma

Sei nunca irá murchar

 

Irá para sempre viver

No jardim da eternidade

Por nós jamais esquecido

 

Com tua chama sobreviver

É a nossa jura de verdade

Jura de amor nosso querido.

 

http://maria-made-in.blogs.sapo.pt/40857.html#comentarios

publicado por poetazarolho às 01:15 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 06.03.12

Boas e más falas

 

Boa rima e verdadeira

Penso mas não encontro

Que a verdade semeia

Mentira em contraponto

 

Verdades já as ouvi

A muito bom mentiroso

E mentiras muitas bebi

Vindas de amigo bondoso

 

Já não sei mais distinguir

As boas das más falas

Todas tentam conseguir

 

Um carimbo de verdade

Com a mentira m’embalas

É a história da sociedade.

publicado por poetazarolho às 21:56 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Tempos loucos

 

Estar no caminho certo

Mas para o lugar errado

Nunca estivemos tão perto

Mas tudo pode ser abortado

 

Um gestor de carreira terás

Se estiveres desempregado

Assim em tempo real saberás

O porquê do teu triste fado

 

Houve um tempo recente

Com meio mundo louco

E deu-se a guerra mundial

 

Hoje vive-se tempo diferente

100% de loucos é pouco

Daí o nosso futuro bestial.

publicado por poetazarolho às 01:28 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 04.03.12

Sociedade nossa

 

Sociedade em que vivemos

É a sociedade que criamos

É aquela em que morremos

Em que os cifrões adoramos

 

Venha a nós o vosso dinheiro

Que estou muito necessitado

Por esse deus sou o primeiro

A colocar o amor de lado

 

Na sociedade sem amor

Tudo funciona sem defeito

Não há pinga de ansiedade

 

És um número e vou supor

Que andas muito satisfeito

Três vivas à nossa sociedade.

publicado por poetazarolho às 22:47 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Março 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
17
20
22
25
26
29
30
31

subscrever feeds

blogs SAPO