Caravelas de esperança


D. Fernando II e Glória
De um povo marinheiro
Escreveu linhas d’história
Por esse mundo inteiro

E mais linhas escreverá
Não nesta mas noutras eras
Que esta é demasiado má
Tempo de fúrias e feras

Tempo este sem lucidez
Ao novo tempo faz apelo
Nas caravelas de esperança

De novo este povo português
Se lançará ao mar tão belo
Contra tempestade ou bonança.

publicado por poetazarolho às 11:38 | link do post | comentar | ver comentários (1)