Segunda-feira, 19.12.11

São Julião


Foi no forte de São Julião
Nos arredores da cidade
Que encontraram a solução
Só pode ser a austeridade

Por isso já sabes, aguenta
Ou recorre à caridade
Senão o estado rebenta
Por não ter capacidade

Em estádios somos primeiro
E auto-estradas igualmente
Nas bombas só topo de gama

São Julião, santo padroeiro
Afastai a austeridade da gente
Quem não chora não mama.
publicado por poetazarolho às 15:51 | link do post | comentar

Um país viável


O secretário de estado
Já o tinha mencionado
Nosso primeiro danado
Por não terem escutado

Veio reforçar a afirmação
Convido-vos à emigração
Para resolver a situação
Zona de conforto é que não

Se não nos prestam atenção
Repetiremos mais vezes
Nem sempre de forma afável

Vocês não são a solução
E Portugal sem portugueses
Tornar-se-á um país viável.
publicado por poetazarolho às 12:49 | link do post | comentar
Domingo, 18.12.11

Radiografia do mundo


O mundo vai deprimir
Como deprimiu outrora
Não vai ser muita a demora
Muitas vozes se vão ouvir

Muitas vozes se vão calar
O mundo não vai decidir
O mundo até se vai rir
O mundo pode esperar

Nós é que já não esperamos
Nós somos os que choramos
Atrás de nós outros virão

Será diferente a situação
Este império vai desmoronar
Boa sorte para quem ficar.
publicado por poetazarolho às 15:32 | link do post | comentar
Quinta-feira, 15.12.11

Radiografia da Europa


Uma cimeira está primeiro
Próxima tem data marcada
É entre Janeiro e Fevereiro
Também não dará em nada

Está a tornar-se fatigante 
Não sair da encruzilhada
É uma situação humilhante
E a Europa será destroçada

Vitória será dos mercados
Aproveitando vistas curtas
Destes euro-governantes

E nós seremos esmagados
Apesar de todas as lutas
Serão tempos alucinantes.
publicado por poetazarolho às 17:15 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 14.12.11

Renascer


É generosa a mãe natureza
Ensinou-te ética e respeito
Mas tu com a tua certeza
A mãe não levaste a peito

Levado pelo toque de Midas
Esqueceste toda a harmonia
Fizeste sangrar as feridas
E o ouro trouxe-te agonia

Mãe viu-se então obrigada
A devolver-te ao pó original
E outra oportunidade te deu

Mas não quer vê-la desprezada
Estas forças pr’ó bem ou mal
Nunca ninguém as venceu.

publicado por poetazarolho às 16:12 | link do post | comentar
Terça-feira, 13.12.11

O sistema


Desculpa não iliba a culpa
Nem deixas de ser culpado
E mesmo sem a desculpa
Da culpa podes ser ilibado

Se a culpa fôr do sistema
Onde te encontras instalado
Mesmo com culpa suprema
Não poderás ser condenado

Sistema deve ser preservado
Já que os culpados preserva
Com o tempo são branqueados

E se têm sentido de estado
Podem manter-se na reserva
Até serem de novo chamados.
publicado por poetazarolho às 13:28 | link do post | comentar
Segunda-feira, 12.12.11

O filósofo


O Sócrates já foi filósofo
Discípulo ou mesmo Platão
Em político ganhou estofo
Embora digam que não

Nestes dias estuda filosofia
Para a nossa dívida gerir
Pois quando voltar a seguir
Fará crescer a economia

Por agora ele é o culpado
Do que está a acontecer
Convém que seja amplificado

Para branquear o passado
E que não deixe transparecer
Um país tão mal governado.
publicado por poetazarolho às 16:45 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 11.12.11

A solução


De cimeira em cimeira
Teremos a cimeira final
Não lembro a primeira
Nem a última por sinal

A solução foi encontrada?
Por certo alguém saberá
Mas eu não lembro nada
Façam um cimeira por cá

Que encontre a solução
Por muitos procurada
Com a nossa imaginação

Melhor solução não há
Começará a ser exportada
E a economia arrebitará.
publicado por poetazarolho às 15:31 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 10.12.11

Essência humana


Houve o terror de Birkenau
Há o de Leipzig também
Agora é que vai estar mau
Novo anjo da morte aí vem

É preciso muita concentração
Desta vez não é em campos
Está concentrada a destruição
Sinais destes novos tempos

Como é um luxo a verdade
Vão mentindo pr’a convencer
Que vai nascer uma esperança

Assim controlam a ansiedade
Mas não esperes até morrer
Ver acontecer a mudança.
publicado por poetazarolho às 15:12 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 09.12.11

A dívida explicada às crianças


Paga a dívida se és criança
És governante faz a gestão
Credor não perde a esperança
Se lhe acenas com a solução

Se a solução é a vinte sete
Podes inclui-la no tratado
Que ninguém se compromete
E também não sai defraudado

Se é a vinte e três então
Um acordo devem assinar
Pois já sabem de antemão

Que não será para durar
É estratégia de alemão
Que a todos quer arrastar.
publicado por poetazarolho às 15:06 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Dezembro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
16
17
21
24

subscrever feeds

blogs SAPO