Alucinação


E o povo saiu à rua
Mas a rua não estava
Pensava que era sua
Mas muito se enganava

E o povo ficou parado
À espera de uma decisão
E por momentos calado
Até que disse que não

Vamos pr’a rua de novo
Mas já não seremos povo
Seremos uma alucinação

Quem pensa que tudo pode
Verá quando o povo explode
Seu sangue espalhado no chão.
publicado por poetazarolho às 13:14 | link do post | comentar