Bar.afunda


Em Londres soltam os cães
Em Nova York bolsa afunda
No forno da aldeia cozem pães
Minha rua está uma barafunda

O pastor conduz o rebanho
Pr’a pastagem do outro lado
Bombista em Roma, já t’apanho
Em Paris o rating foi cortado

Wall Street viu um fantasma
Ó freguês olha a vivinha da costa
Na City gato preto foi avistado

Correctores têm ataque d’asma
Sardinha na brasa, quem não gosta
Mundo da finança anda azarado.
publicado por poetazarolho às 11:55 | link do post | comentar