Juros d'arrasar


De Portugal são amigos
Vêm mais 3 mil milhões
Vamo-nos a eles galifões
Eu cá chamo-lhes figos

A dente de cavalo dado
Não se olha certamente
Nem se fica indiferente
Pior é se é emprestado

Com tanta falta de pilim
E os juros que irão cobrar
Eu nunca vi nada assim

Este país ir-se-á afundar
Será enorme o frenesim
Quando fôr dia de pagar.
publicado por poetazarolho às 15:49 | link do post | comentar | ver comentários (2)