Falso alívio


É dia de grande euforia
Nessa Europa um fartote
Estão a aliviar o garrote
Mas prolongam a agonia

É que ao alargar o prazo
E do juro haver diminuição
Estão a aliviar a pressão
E pr’a esbanjar darão azo

Já consigo ler o pensar
De quem está a governar
“Tempestade está a amainar

Tempo de bonança a chegar
Prenúncio pr’a voltar a gastar”
Raciocínio que nos vai afundar.
publicado por poetazarolho às 15:46 | link do post | comentar