País santo

 

 

O novo banco está velho

Administração deu à sola

Uma família sem trambelho

Vai pôr-nos a pedir esmola

 

Ouvi dizer está parado

Num estado deprimente

Tod'o espólio foi gamado

Quem vai pagar é a gente

 

É a prenda de natal

Que nos calhou em sorte

Sem que quiséssemos tanto

 

Já nos habituou Portugal

Que entre a vida e a morte

Louvemos ao espírito santo.

 

publicado por poetazarolho às 17:44 | link do post | comentar