Fabulástico

 

Era um burro comilão

Na fábula não era humano

Cortaram-lhe na ração

Um bocado a cada ano

 

Ao princípio foi fantástico

Era enorme a poupança

Mas um efeito bombástico

Depressa colou a pança

 

Burro deu em emagrecer

Fraquinho já nem pensava

Por fim perdeu o trambelho

 

Mesmo antes de morrer

O burro já não trabalhava

Isto é obra dum coelho.

publicado por poetazarolho às 00:22 | link do post | comentar