Cautela

 

Um programa cautelar

À cautela vamos ter

Senão seria esbanjar

Até mais não se poder

 

Será necessário cortar

Em quem tem para comer

Para poder alimentar

Quem de fome está a morrer

 

Os que estão a governar

Têm mesmo que perceber

Que é preciso reformar

 

E a reforma é pr’a valer

Já não dá mais pr’a brincar

Pois a europa está a ver.

publicado por poetazarolho às 22:37 | link do post