Aeroporto

 

Um governo de salvação

Já não conseguirá salvar

Esta tristíssima nação

Que se está a afundar

 

Ingovernável por definição

Sempre soube achincalhar

Desde longínqua fundação

Quem a esteve a governar

 

Resignados os portugueses

Só terão uma única saída

Alguns já fizeram uso dela

 

Por cá ficarão os malteses

Os outros fazem-se à vida

Usando o aeroporto da Portela.

publicado por poetazarolho às 00:47 | link do post | comentar