Aguentarás

 

Aguenta sem abrigo

Que eu vou aguentar

Já tenho o meu castigo

Milhões p’ra esbanjar

 

Aguenta hirto e firme

Aí debaixo da ponte

Alguém me confirme

Vejo lucro no horizonte

 

Aguenta essa fome

E esse frio também

Que o futuro é aguentar

 

Aguenta em meu nome

Que não te faço refém

Desta forma de pensar.

publicado por poetazarolho às 19:18 | link do post | comentar