Mercado sem povo

 

Toquem sinos a rebate

Que já fomos ao mercado

Não preciso de resgate

P’ra comprar o pescado

 

É a moral deste país

Que precisa ser resgatada

Mas isso ninguém diz

Pois está envenenada

 

O povo já não interessa

Só interessa a finança

Em catadupas d’informação

 

Mas depois ninguém peça

Que ao sentir vazia a pança

Não se dê uma explosão.

publicado por poetazarolho às 20:24 | link do post | comentar