Esta gente

 

A orgia do poder

Foi de tal dimensão

Acabaram por esquecer

Ser filhos de quem são

 

Mas que gente é esta

Que está à frente da gente

Será gente que não presta

Ou será gente doente

 

Que encaixa na perfeição

Neste tempo miserável

Em que tentamos viver

 

Só abraça esta missão

Gente assim tão execrável

Que prefere ver-nos morrer.

publicado por poetazarolho às 23:54 | link do post | comentar