Pai do Adamastor

 

Anunciará o ano novo

Cá o nosso presidente

Mas que dizer ao povo

É tudo tão deprimente

 

Evocar passado de glória

Que nos deu meio mundo

Tentar inverter a história

Deste presente imundo

 

Alimentar monstro estado

Que se tornou arrasador

E nos deixa sem tostão

 

Regressemos ao passado

Procuraremos o Adamastor

Revivamos a superstição.

publicado por poetazarolho às 22:02 | link do post