SNS

 

Estava o secretário de estado

Às voltas com o orçamento

Como ser muito iluminado

Fez-se luz naquele momento

 

Para não ter tanta despesa

Com o sistema de saúde

Bastaria com toda a certeza

Não adoecêssemos amiúde

 

E assim logo ele decretou

Sem perder um só momento

Adoeçam com menor cadência

 

Da saúde as contas equilibrou

E nós ficámos sem argumento

Tal não foi a sua inteligência.

publicado por poetazarolho às 22:19 | link do post | comentar